Mahou Tias #033 – O Novo Membro

Mahou Tias (Logo sob fundo verde)

Apenas por volta das oito da noite, os médicos permitiram que Ricardo recebesse visitas. O rapaz ainda estava na UTI, em coma induzido, mais por precaução do que por gravidade.

Os médicos diziam que tinha sido bom Ricardo ter vomitado o sangue, pois durante a cirurgia, as manchas de sangue, que os exames mostravam, estavam milagrosamente menores.

Segundo mensagens que Laura havia mandado para Stefani, isso poderia ser por causa do próprio mecanismo de defesa. Já que Stefani havia se revelado, não havia por que Ricardo ficar machucado.

Mas tudo isso estava no campo da especulação, já que nenhum dos animeis que Laura conhecia, sabia muito sobre aquelas frutas.

Stefani e Estela estavam se sentindo mal pelo ocorrido.

Stefani dizia que se não tivesse ficado com nojo do uniforme, isso não teria acontecido.

Já Estela achava que deveria ter secado o uniforme da filha, no forno do fogão, assim, ela poderia vesti-lo mais rápido.

Mas o mais incrível era que Viviane também estava se sentindo culpada, já que ela tinha feito Ricardo sair da cozinha envergonhado.

Otavio ficou com a missão ingrata de contar a verdade aos pais do rapaz, mas até o momento da visita ele não tinha feito isso.

Após a visita, os pais de Ricardo voltaram para a recepção do hospital animados, pois segundo eles, o filho havia acordado, e pelo que tinham percebido, ele não estava com sequela alguma.

A noticia fez Stefani chorar descontroladamente, só que de uma maneira aliviada. Estela também chorava, mas era mais discreta. Viviane, enxugava os olhos com um guardanapo, lembrando uma madame que presa pela postura.

Otavio chamou o pai de Ricardo discretamente para um canto, e começou a explicar o que tinha acontecido.

Stefani e os outros estavam a uma certa distancia dos dois, e não podiam escutar o que era dito. Mas eles podiam ver o pai de Ricardo ficando branco, fazendo cara de medo, depois de assustado, enquanto colocava as mãos na cabeça.

O pai de Ricardo, era um homem forte, não por frequentar academias, mas sim por que ele era pedreiro. Ele tinha pouco cabelo e uma pele marcada pelo sol e a poeira que se enfrentava em uma construção.

O pai de Ricardo, viu Stefani chorando, se aproximou dela, agachou colocando a mão no ombro dela dizendo:

– Calma que já passou… Podia ter acontecido com qualquer um. Já vi esse tipo de descuido acontecer com vários colegas.

Stefani abraçou o homem que também começou a chorar.

Como não havia mais o que fazer ali, todos foram para suas casas. Quando Stefani e os pais chegaram em casa, encontraram a mesa posta e a mãe de Pamela no fogão esquentando algo em uma panela.

Quando a senhora viu todos entrando ela falou a Estela:

– Desculpa, mais eu mexi nas suas coisas pra fazer uma arroizinho.

– A senhora não deveria fazer esforço! – Exclamou Estela indo até o fogão.

– Agora eu não posso nem fazer comida, onde já se viu. – Rebateu a mãe de Pamela indignada.

Stefani escutou um barulho vindo de seu quarto, e subiu para ver o que era. Quando ela entrou no cômodo, viu Pamela secando seu uniforme com um secador de cabelos.

Stefani ficou sem entender nada e Pamela explicou que a saia tinha ficado suja de sangue, e ela tinha lavado o uniforme novamente.

Stefani agradeceu a ajuda e como o uniforme já estava praticamente seco, se transformou, vestiu-o, e voltou para a forma civil.

Depois que jantaram, Augusto levou Pamela e os pais para sua casa, e deixou Viviane e Fake na casa dela.

Stefani e os pais foram dormir, pois aquele sábado tinha sido complicado.

No domingo a noite Stefani foi visitar Ricardo, que já tinha ido para a enfermaria.

Os médicos ficaram espantados com a recuperação dele, e disseram que provavelmente no dia seguinte ele já teria alta.

Stefani, pediu desculpas para o rapaz, que disse que seria melhor conversarem quando ele saísse.

Stefani entendeu a precaução, afinal, haviam mais três pessoas na enfermaria.

Otavio continuava trabalhando na construção do site para divulgar as provas que Vitório havia dados.

Vez ou outra, quando a cabeça travava, e ele não conseguia continuar, o homem revirava os arquivos, buscando motivação pela raiva.

Porem só naquele dia ele percebeu algo. Perdida em pedaços de áudio, vídeos, textos e fotos, estavam provas que sugeriam que algumas coisas relacionadas aos massacres e a armadilha da polícia, eram mais complexas.

Inicialmente todos pensavam que o presidente, junto de seus comparsas, tinham ordenado os massacres e a armadilha para pegar as super mulheres.

Uma segunda hipótese seria que a polícia aproveitou o argumento dos homens que haviam sequestrado a repórter, para criar a armadilha.

Mas o porque de os políticos terem medo das Supermulheres nunca tinha ficado claro.

Dois fatos correlacionados, porem acontecidos em momentos diferentes, chamaram a atenção do homem.

Ele encontrou no meio dos arquivos um atestado de óbito dos dois homens que ficaram sego, na primeira aparição das Supermulheres.

O documento dizia que eles haviam morrido de infecção generalizada.

Era bastante estranho, mas o que deixou as coisas mais estranhas ainda, foram um boletim de ocorrência e outro atestado de óbito, que pertenciam ao menor que tinha visto Wind.

Segundo o BO, o rapaz foi morto durante uma briga na Fundação Casa. O atestado indicava uma perfuração na garganta como motivo da morte.

Otavio pediu o comunicador da filha, e começou a contar o que tinha descoberto.

Leidiane disse que não tinha ficado sabendo dessas mortes, e ficou mais preocupada do que já estava.

O marido de Jessica assumiu a micção de contar a descoberta para Vitório.

Na segunda a tarde, Ricardo teve alta, e saiu do hospital direto para a casa de Stefani.

A mãe do rapaz, não tinha aceitado tão bem o fato do filho quase ter morrido por causa desse segredo. E assim como Estela no inicio, ela não gostava de imaginar os perigos que essa história de luta contra o crime podia reservar.

A mãe do rapaz e Estela ficaram conversando na cozinha, já Ricardo subiu com Stefani para o quarto dela.

Quando chegaram lá, Ricardo fez apenas uma pergunta:

– Por que a Viviane sabia e eu não?

– Ela só se envolveu nisso por causa do Fake, o cachorro dela… Ele fala. – Respondeu Stefani começando a chorar.

– E qual o problema de ele falar? – Voltou a questionar o rapaz.

– O comandante Vitório ficou com medo do cachorro acabar falando sobre nossas identidades, e colocar muita gente em perigo. Por algum motivo, Fake estava atrás do cheiro de nos quatro, enquanto ficamos transformadas. – Explicou Stefani.

– Por que não tirar o cachorro dela? – Perguntou novamente Ricardo.

– Vitório não quis, ele não achou justo. – Explicou novamente a garota.

– E como eu posso ajudar? – Perguntou Ricardo sorrindo.

Stefani correu na direção do rapaz, e se jogou com força na direção dele, o abraçando.

Ricardo perdeu o equilíbrio e caiu de costas no chão.

Stefani começou a beija-lo com toda a vontade que tinha, e sentiu o rapaz ficar animado, enquanto ele passava as mãos sobre o corpo dela.

Eles ficaram nesse esfrega-esfrega por um bom tempo. Em um dos momentos em que os lábios deles se separaram, Ricardo olhou para a porta, e tomou um susto. Stefani olhou em seguida e viu Viviane sorridente que disse:

– A gente, não para por causa de mim não. Se eu não puder participar, ficar olhando já tá bom.

Stefani ficou vermelha, e parada encarando Viviane.

Ricardo tentou sair de baixo de Stefani mas ela estava totalmente sem reação. O rapaz perguntou o que ela tinha e ela respondeu:

– Por um segundo, eu levei a ideia de Viviane em consideração. Que droga!

– Qual ideia? – Perguntou Viviane empolgada.

– A de você participar… – Respondeu Stefani corando mais ainda.

Ricardo soltou uma exclamação enquanto Viviane agarrou Stefani e a levou para a cama, se deitando sobre ela tentando beija-la.

Stefani começou a empurrar a cabeça de Viviane com as mãos mandando ela parar.

Como Viviane não conseguia alcançar a boca de Stefani, ela começou a lambar o queijo da amiga.

No inicio Ricardo ficou excitado, mas naquele momento a situação tinha ido mais para o lado comigo do que para o erótico, e ele começou a rir.

Viviane pareceu ofendida e perguntou o porque ele estava rindo. Ele respondeu:

– Do jeito que a Stefani tá empurrando sua cabeça, enquanto você lambe o queixo dela… Não é excitante, é uma sena de comédia!

Viviane saiu de cima de Stefani, se sentou na cama e reclamou enquanto olhava para o queixo da amiga cheio de saliva:

– O pior é que pensando bem, tava mesmo…

Todos acabaram rindo e Ricardo voltou a perguntar como podia ajudar.

Stefani perguntou se ele sabia mexer na deep web, para criar uma página e divulgar provas contra os verdadeiros culpados da chacinas.

Ricardo contou que já tinha acessado a deep web, e libo bastante sobre a arquitetura de sites de lá, e aceitou a missão.

Continua…


Pesquisa de Público:
http://goo.gl/forms/6o70pS9aM8

contato@tresquartoscego.com

https://twitter.com/danilosferrari

https://twitter.com/tresquartoscego

https://www.facebook.com/tresquartoscego

http://www.mahoutias.com.br

Commentários do Facebook

Comentários