Mahou Tias #039 – O Dia D

Mahou Tias (Logo sob fundo verde)

Todos tiveram dificuldades para dormir aquela noite. No domingo todos acordaram bem cedo para ficar apostos em caso de necessidade.

Estela, que durante a semana não havia dormido bem por causa da gripe, foi a que dormiu até mais tarde, já que durante o sábado a gripe tinha dado uma boa melhorada.

Todos desconectaram seus celulares da rede, wifi, pois toda a banda de transmissão seria deixada para o upload dos arquivos.

Então por volta das oito e trinta da manhã o primeiro lote de arquivos começou a ser enviado.

Eles resolveram enviar primeiro os arquivos de vídeo, que eram os mais pesados. Depois de uma hora observando os computadores fazerem seu trabalho, Stefani perguntou para Ricardo quantos arquivos tinham sido enviados.

O rapas respondeu que o envio do decimo arquivo estava em 70%.

Stefani ficou um pouco desanimada, pois ainda restavam 42 arquivos de vídeo para serem enviados, sem contar o upload que estava em andamento.

Além dos 52 arquivos de vídeos, ainda restavam 197 arquivos de áudio, 501 fotos, 329 documentos digitalizados, 77 arquivos de e-mail, e alguns arquivos criptografados que eles não sabiam o que eram, e deixariam a comunidade trabalhar sobre eles.

Enquanto os arquivos eram enviados, ninguém treinou, pois talvez, as Mahou Tias tivessem que agir.

Mas até a hora do almoço, não houve nenhum sinal de que eles estavam sendo rastreados.

Stefani ficou fazendo exercícios leves nos aparelhos de ginastica de Mario e Leidiane, mas sem colocar pimenta perto do nariz.

Na verdade, estavam mantendo Stefani o mais longe possível dos computadores, ninguém queria arriscar que ela queimasse as maquinas por acidente.

Viviane ligou a esteira e fez Fake correr nela. O cachorro levantou as orelhas e ficou com uma expressão de pavor ao correr sobre aquele chão que se mexia sozinho.

Viviane ria de Fake e Stefani pedia para ela tirar o animal de lá, pois ele podia se machucar.

Viviane falou para Stefani não se preocupar, pois não aconteceria nada. E realmente nada aconteceu.

Em dado momento Fake até começou a correr mais rápido do que a esteira estava. Viviane foi aumentando a velocidade aos poucos, e o cachorro foi acompanhando.

Minutos depois, exaurido, Fake pulou para fora da esteira por conta própria.

Viviane aplaudiu o animal que comemorou:

– Eu fiz direito! Ela ta batendo as patas! Eu fiz direito!

Stefani não conseguiu segurar o riso ao ver Fake chamar as mãos de Viviane de patas.

Fake se aproximou da dona e perguntou se a esteira era algum tipo de brinquedo. Viviane respondeu:

– A gente usa isso pra correr sem sair de casa.

– Gostei! Gostei! Eu posso correr sem me preocupar com animais que vocês chamam de carro. – Falou Fake abanando o rabo.

– Eu já falei carro não é animal, é maquina. – Explicou Viviane.

Fake pareceu confuso, e foi encarar a esteira. Depois de alguns instantes ele falou:

– Esteira é máquina?

– Sim, é uma máquina. – Respondeu Viviane.

Stefani achou curioso o fato de Viviane estar realmente tentando fazer Fake entender o mundo dos humanos. E entendeu que fazia sentido Fake achar que as mãos de Viviane fossem patas. Na verdade para os cães, qualquer mão deveria equivaler a uma pata.

O almoço aconteceu por volta das 14 horas, momento em que os vídeos haviam terminado de ser enviados.

Agora começaram a enviar os áudios, enquanto almoçavam.

Por volta das 17 horas os áudios estavam no servidor.

Quando a noite chegou, tudo já havia sido enviado, e eles já divulgavam o endereço do site.

O site começou a ser visitado por várias pessoas, muitas dessas começaram a baixar os arquivos criptografados para descobrir sobre o que eram.

Foi colocado no site, um formulário para que documentos pudessem ser enviados, e assim abrir as portas para mais provas.

Todos sabiam que o retorno não viria rápido, pois havia muito material para ser estudado.

No fim do dia, por volta das 22 horas, alguns jornais começavam a divulgar o site e expor alguns de seus conteúdos.

Porem quando um site de um jornal de menor porte divulgou a conversa entre o presidente, o governador, e a estranha mulher, foi que o site ganhou destaque.

Tiago que estava de plantão na delegacia ligou para Jessica, que já estava na chácara e falou em código:

– Quando eu chegar em casa, eu vou querer um bolo. E eu quero recheio, bem no meio do bolo. Tchau.

Jessica desligou o celular, que tinha ficado no viva-vos e explicou:

– Podemos comemorar, ao que parece, a polícia confirmou que aquele áudio é real.

Otavio e Ricardo se cumprimentaram batendo as palmas das mãos. Viviane riu do código usado por Jessica e o marido, enquanto Leidiane ligava a TV em um canal de notícias.

Todos viram a noticia tomar volume, enquanto mais e mais documentos, eram revelados, e cada vez mais pessoas juntavam peças que tornavam a vida do presidente e do governador um amontoado de crimes e fraudes.

Continua…


Pesquisa de Público:
http://goo.gl/forms/6o70pS9aM8

contato@tresquartoscego.com

https://www.facebook.com/tresquartoscego

http://www.mahoutias.com.br

Commentários do Facebook

Comentários