Mahou Tias #040 – Ladrão De Energia

Mahou Tias (Logo sob fundo verde)

Devida a grande possibilidade de problemas acontecerem, ninguém saiu da chácara naquela segunda.

Nas primeiras horas úteis do dia, a imprensa já noticiava, as movimentações do Ministério Público e Policia Federal, na investigação do presidente e governador. O escândalo, paralisou as atividades políticas na capital e no estado de São Paulo.

As redes sociais, foram tomadas por brigas entre pessoas que diziam que as provas eram armações da oposição, e outros que já queriam derrubar os políticos envolvidos.

Contudo, aquela foi uma segunda-feira de informações desencontradas. Cada veículo de comunicação parecia ter informações diferentes, que na maioria das vezes tinham poucas diferenças entre si, mas que em alguns casos, eram tão diferentes, que nem era possível dizer que eram contraditórias.

Por vezes, jornalistas do mesmo grupo de imprensa recebiam informações diferentes.

O escândalo se tornou tão grande, que a imprensa internacional estava dando grande destaque ao ocorrido.

Para muitos, estava ficando claro que toda a informação desencontrada sobre a investigação e movimentação política, só tinha uma razão, confundir a opinião publica.

Stefani continuou fazendo exercícios leves, na pequena academia de Leidiane, porem, ela não sentia que os músculos estavam ganhando capacidade de armazenamento elétrico.

Laura sugeriu que ela tentasse um pouco mais, já que dois dias de treino leve, certamente não fariam muita diferença.

Otavio havia avisado a empresa onde trabalhava, que teria que trabalhar de casa. Junto de Ricardo, ele ficou monitorando o site, e analisando documentos que chegavam.

Na verdade todos estavam empenhados em analisar tudo o que era enviado através do site.

Tatiane havia se juntado ao grupo naquela segunda, mais recuperada do trauma de passar o primeiro dia das mães, após a perda do bebê.

Fake estava andando pela fazendo, e aparentemente, tinha ficado amigo dos animais de lá.

No fim do dia, todos voltaram para São Nunca, afinal, não seria bom que os jovens perdessem dias de aula, e que Otavio ficasse fora do escritório.

Em São Nunca, a polícia parecia estar com medo do que poderia acontecer, pois várias viaturas estavam patrulhando a cidade, de uma forma que não era normal.

Jessica disse que seria bom as Mahou Tias darem as caras, afinal, elas faziam parte de toda essa confusão.

Tatiane sugeriu que Pamela ainda não aparecesse, pois seria bom que ela fosse um elemento surpresa em uma situação mais complicada.

Pamela foi contra a ideia, porem foi a única.

Por volta das dez da noite, o povo viu as Supermulheres sobrevoando o céu de São Nunca.

Faísca que estava começando a entende como voar, ficou sempre agarrada a Wind.

A patrulha das Supermulheres deu uma mexida no ambiente. Apesar de terem impedido apenas pequenos delitos, o aparecimento delas, apesar de tardio, deu mais força a todas as provas que eram divulgadas.

Mas em contrapartida, a aparição das heroínas, deixou a população da cidade com medo, e as ruas foram se esvaziando rapidamente.

A terça-feira amanheceu com o anuncio da prisão preventiva do presidente e do governador.

A mulher que era ouvida na gravação, ainda não tinha sido encontrada, e naquele momento, essa estava sendo a missão da polícia.

Na escola, os alunos estavam incontroláveis. Em todas as salas de aula, os professores estavam tendo dificuldades para fazer os estudantes prestarem a atenção nas aulas.

Depois da aula, Stefani foi direto para casa, e encontrou a mãe com sinais de que a gripe estava voltando.

Estela falou para a filha, que estava desconfiando que essa gripe, na verdade, podia ser uma alergia a poluição, e que já tinha marcado um médico.

Quando voltou do serviço, Otavio, também dava sinais de que estava ficando gripado. Isso não era tão estranho, afinal sempre que Otavio ou Estela pegavam uma gripe, o outro pegava em seguida.

Isso fez Estela começar a descartar a hipótese da alergia, mas mesmo assim ela não desmarcou o médico.

A semana foi passando e as investigações iam avançando, e confirmavam o envolvimento do presidente e do governado nos massacres.

A investigação tinha feito muito progresso, mas a mulher da gravação ainda era incógnita. O celular que ela havia usado para fazer a ligação na gravação que mostrava a organização dos massacres, era um aparelho roubado, por isso a polícia não encontrava rastros dessa mulher.

Quando chegou da escola, já na sexta-feira, Stefani não encontrou a mãe na cozinha, na sala ou na lavanderia, Estela estava deitada em sua cama dormindo.

A garota ficou preocupada, pois a gripe da mãe estava piorando. Quando Stefani tocou a testa da mãe, ficou desesperada, a mulher estava ardendo em febre.

Após ligar para o avô, pedindo socorro, Stefani colocou um termômetro na axila da mãe e esperou. Quando retirou o aparelho, o visor marcava 42 graus.

Augusto, Pamela e Stefani, levaram Estela desacordada para o pronto socorro, e avisaram Otavio no caminho.

Após vários exames, foi constatado que Estela tinha pego uma forte pneumonia. Por precaução a mulher foi colocada em uma SEMI-UTI.

A UTI, estava tomada por pessoas que também estavam com pneumonia.

Stefani quis passar a noite no hospital, mas para evitar possíveis complicações, os médicos não permitiram que ninguém ficasse.

Em casa, Stefani ficou sentada na cama dos pais enquanto o pai tomava banho. Ela ficou encarando o gatinho de pelúcia que tinha dado para a mãe.

Em um gesto simbólico de abraçar a mãe, Stefani pegou o bichinho e o abraçou. Porem ela começou a sentir algo estranho, como se um pedaço de si, um pouco de seu animo, tristeza e alegria, estivessem sondo sugados pelo bichinho.

Stefani achou a sensação estranha, e começou a prestar a atenção no seu fluxo de energia.

Tantos treinos para aprender a sentir e controlar seus poderes, fizeram com que ela notasse rapidamente, que sua energia estava sendo absorvida pelo gato de pelúcia.

Quando Otavio saiu do banho viu a filha segurando o bichinho, com medo. O homem perguntou para a filha o que ela tinha, e Stefani explicou:

– Eu to sentindo minha energia sendo sugada pelo bichinho… Eu estou sentindo, não é impressão.

Mesmo achando a possibilidade absurda, Otavio pediu para Stefani falar com as outras Mahou Tias.

Usando seu comunicador Stefani contou para as outras o que havia sentido.

Laura, que estava na casa de Leidiane em São Nunca, foi até a casa de Stefani e segurou o gatinho. Imediatamente ela confirmou que Stefani estava correta, o animalzinho de pelúcia estava absorvendo a energia vital de quem o segurava.

Laura pegou uma tesoura e cortou o tecido do brinquedo, revelando o material interno, que parecia ser algodão, mas que tinha uma coloração vermelha puxada para o marrom, e tinha um fraco cheiro de sangue.

Leidiane saiu da casa de Stefani e foi até uma loja de brinquedos comprar outro bichinho da mesma marca. Ela acabou demorando, pois já era tarde, e mesmo lojas de shopping estavam fechadas ou fechando.

Ao voltar para a casa de Stefani, ela entregou o bichinho, que agora era um urso, para Laura.

Ela o tirou da embalagem e confirmou que aquela pelúcia também absorvia a energia vital. Então novamente cortaram o tecido, mas neste caso o recheio do urso estava branco.

Leidiane segurou um pouco do algodão na mão, e ele foi se tornando vermelho conforme ela sentia sua energia sendo sugada.

Otavio foi até o computador para investigar sobre a fabricante, porem ele encontrou uma informação que o deixou assustado. A empresa que fabricava estes bichinhos, era a mesma que fornecia os brinquedos distribuídos pela ONG Abraço Fofinho, além disso essa empresa tinha sua própria plantação de algodão.

Continua…


Pesquisa de Público:
http://goo.gl/forms/6o70pS9aM8

contato@tresquartoscego.com

https://www.facebook.com/tresquartoscego

http://www.mahoutias.com.br

Commentários do Facebook

Comentários