Mahou Tias #054 – O Resgate Dos Combatentes

Mahou Tias (Logo sob fundo verde)

Depois que as esferas de luz desapareceram no céu, todos começaram a chorar, pois aqueles que haviam ido jamais voltariam.

Vitório que todos pensavam estar desmaiado falou:

– Descansa meu pai.

Quando percebeu que o perigo e as coisas estranhas tinham acabado, Fake saiu de dentro da Kombi e se aproximou de Viviane lambendo seu rosto.

Ricardo, que estava com a voz fraca, pediu para que Bolinha se aproximasse dele. Quando ela chegou perto ele falou:

– Nós fomos sequestrados. Nos forçaram a pegar os veículos. Quando chegamos aqui, queriam nos dar de comida para as plantas demônio. As Supermulheres apareceram, nos ajudaram a vencer as plantas, e depois todos lutamos com a bruxa que controlava as plantas.

– Mas porque sequestrar a gente? – Questionou Tatiane.

– Porque eles perceberam que a Stefani descobriu sobre as pelúcias. – Respondeu Ricardo.

Bolinha olhou em volta vendo resto das plantas, começando a ficar esperançosa. Mas voltou a questionar o rapaz:

– É mas só tinham dos nossos quando pegaram os veículos! Além de não ter registro telefônico de nada.

– Bom… Fomos induzidos por magia, ou vozes ficavam falando em nossas cabeças. – Falou o rapaz.

– Essa é a melhor saída… Procura pelo corpo da Laura, do cavalo, e do cara que tava mandando ver na bruxa. – Falou Mario.

Bolinha saiu voando na direção de onde a bruxa havia aparecido, e encontrou um cavalo caído. Quando ela se aproximou viu que era o animal de Laura.

Ela entrou na casa, e encontrou os corpos de Laura e do homem. No galpão ela encontrou o chão coberto de sangue, barris que ainda vazavam o liquido e um livro parcialmente queimado, em uma bancada.

Ela pegou o livro para ler, e viu instruções para a fabricação de poções, danificadas por fogo.

Tatiane voltou até os companheiros que tentavam se levantar e cuidar uns dos outros, explicando tudo.

Ricardo foi rápido em sugerir que Laura escapou e encontrou a casa da bruxa. Mario pediu para Tatiane ir até a estrada chamar ajuda.

Todas as Mahou Tias, incluindo Tatiane voltaram a sua forma civil, porem mantiveram os ferimentos.

Tatiane rasgou as próprias roupas e das outras, tentando deixar os rasgos compatíveis com os ferimentos.

Tatiane ficou cerca de quinze minutos pulando no acostamento, até que um caminhoneiro parou e perguntou quanto era o programa. Tatiane se desesperou e gritou:

– Meus amigos e eu fomos sequestrados, tem gente morrendo, chama a polícia.

O caminhoneiro pegou o celular, acendeu a lanterna e iluminou o rosto de Tatiane. Quando ele viu os cortes e arranhões em seu rosto, ele desceu do caminhão e ligou para a polícia.

A atendente estava tendo dificuldades em acreditar na história de Tatiane, porem uma viatura da polícia rodoviária que passava por ali, assumiu e seguindo as instruções de Tatiane chegaram até o local onde os outros estavam.

Os policiais examinaram um por um, e ficaram desesperados, pois Augusto, Ricardo e Vagner já estavam inconscientes. Então pediram reforços e viaturas de resgate.

Tatiane deu instruções de onde ficava a casa da bruxa. Os policiais que foram até lá se assustaram, pois a quantidade de sangue no chão do galpão era assustadora.

As evidencias faziam a polícia começar a acreditar que eles tinham ido para lá por influência mental.

O resgate passou a ser acompanhado por todas as emissoras de TV. Quando a informação de que as pelúcias da Nunca + Brinquedos roubavam sangue, vazou, todos os canais que estavam cobrindo o evento fizeram demonstrações ao vivo, de como o algodão ia ficando vermelho ao contato com a mão.

Funcionários da Nunca + Brinquedos e moradores de São Nunca, queriam invadir a fabrica para queima-la, porem a polícia impedia pois o local era necessário para as investigações.

Augusto, Ricardo e Vagner, segundo os boletins médicos, estavam em estado gravíssimo, correndo risco de morte.

Todos os outros, incluindo Tatiane, foram colocados em Semi-UTIs, para que fossem melhor examinados, e ficassem devidamente isolados.

O grupo foi dividido em dois hospitais de Campinas, já que os feridos tinham sido encontrados dentro dos domínios da cidade.

Conforme as horas iam passando, os feridos iam melhorando, e as investigações avançando.

Apesar de não ter muito como provar, a polícia já tinha aceitado a história de pratica de magia das trevas, mas o depoimento das vitimas ainda seria necessário.

A polícia passou a pedir ajuda para especialistas em ocultismo e demonologia, para investigar o caso.

Durante a noite do domingo vazou a informação de que foram encontradas sementes de plantas que eram usadas para a cultura do algodão que roubava sangue, e que essas plantas também conseguiam absorver, mesmo a distancia o sangue roubado pelo algodão.

Segundo o vazamento, essa informação saiu do livro que estava parcialmente queimado. E as sementes estavam escondidas em compartimentos secretos nas paredes da casa da bruxa.

Até segunda ordem, a polícia considerava os feridos como vítimas e suspeitos, sempre mantendo vários soldados tomando conta deles.

Continua…


Pesquisa de Público:
http://goo.gl/forms/6o70pS9aM8

contato@tresquartoscego.com

https://www.facebook.com/tresquartoscego

http://www.mahoutias.com.br

Commentários do Facebook

Comentários