Mahou Tias #066 – Mãe D’água

Logo de Mahou Tias em fumdo amarelo

Depois que voi deixada na nascente pelo pajé, Tatiane tentou entrar na água. Porem, quando encostou a sola do pé na superfície, mudou de ideia.

O sol estava começando a dar as caras, e ela estava sem nenhum aparelho, incluindo relógio, pois havia sido proibida pelo pajé, que queria que ela e Viviane, se conectassem a natureza.

Depois de um serto tempo, quando o sol já tinha se mostrado, ela tomou coragem colocando apenas os pés na água. Ela começou a tremer como uma maquina de lavar quebrada, teve solusos espirrou, sentiu que ia desmaiar, mas permaneceu firme.

Por mais duro que estivesse sendo, ela sabia que aprender a controlar melhor seus poderes, era imprescindível. São Nunca podia sofrer nas mãos de Raquel, que sertamente, se sobreviveu, iria buscar vingança.

Tatiane se concentrou em seus pés, e tentou fazer sua energia fluir através deles, porem nada acontecia.

Ela entrou na água até a cintura, e novamente tentou fazer sua energia fluir, porem novamente nada acontecia. Tatiane tentou manipular a água com as mãos, porem, o liquido não a obedecia.

Essa falta de resposta da água, estava intrigando Tatiane. Geralmente, quando ela conseguia conectar sua energia a da água, ela sentia como se o liquido se tornasse parte de si. No entando, ela não conseguia se conectar a água da nascente.

Por volta do que Tatiane julgava ser umas dez da manhã, o pajé apareceu e se ofereceu para responder perguntas. Tatiane quis saber por que não conseguia se conectar a água da nascente, o pajé respondeu:

– Esse é lugar poderoso, água sai de pedra. Água limpa sai de pedra, água nova. Mas água é só uma.

Após dizer isso o pajé se retirou, indo na direção de onde estaria Viviane.

Tatiane começou a refletir sobre as palavras do pajé. Ela tentava entender porque aquele lugar era poderoso. Ela se perguntava o que tornava o lugar especial. Então uma luz acendeu em sua mente, aquele lugar era poderoso por causa da nascente.

Tatiane ficou feliz por ter compreendido, pois entender que a nascente era algo poderoso fez ela entender, que seus poderes eram fracos para domar aquela água.

Então, como se fosse a coisa mais obvia do mundo, toda a frase do pajé passou a fazer sentido. A nascente era algo poderoso, porque a água saia das pedras, como se as pedras fossem úteros, dos quais a água que era pura por ter acabado de nascer saia. Áqua que era pura não por ser limpa, mas por ser como um bebê, e que ao se misturar com a água já existente, só tornava uma só.

Tatiane comparou seu poder de criar água com o da nascente, e tentou fazer água sair das mãos, porem nada aconteceu.

Tatiane chegou a pensar que ela não poderia ir além, pois se uma nascente, era como um ventre, que dava a luz a água nova, ela, que não tinha mais a habilidade de ser mãe não poderia dominar este poder.

Tatiane começou a chorar se ajoelhando, ficando com água até o pescoço.

Conforme as lagrimas de Tatiane caiam na água, ela se aquecia, chegando a se tornar extremamente confortável, até mesmo aconchegante.

Os movimentos da água, passaram a se parecer com caricias, e Tatiane foi se sentindo calma e tranquila.

Tatiane notou, que o liquido estava se movendo em volta dela, como se dançasse. Ela tentou novamente se conectar a água, porem não conseguiu. No entando, ao tentar controlar o liquido, este obedeceu.

Tatiane imaginou se suas lagrimas haviam contaminado a nascente, porem, isso não fazia sentido, pois a água tinha se aquecido demais, além de ser estranho ela estar controlando a água sem ter se conectado com ela.

Tatiane imaginou que estava indo no caminho correto, pois ela notou que agora, ela conseguia sentir a água presente no ar, nas árvores, nos incetos, em fim, podia traçar o caminho da água na natureza.

Por causa desta nova habilidade, ela pôde sentir o coração da nascente, então, tentou se ligar a ele, e conseguiu.

O fluxo de água que saia da pedra aumentou, e ao invés de gotas, agora a pedra dava a luz a um esguicho d’água, que foi aumentando, se tornando um grande fluxo, que fez o buraco no chão, onde ficava a nascente transbordar, com água começando a correr polo solo da floresta.

Enquanto estava ligada a nascente Tatiane ouviu em seu coração, uma voz de mulher que disse:

– Teu desejo de ser mãe é sincero. Um dos deveres da mãe é proteger. Teu poder é um pedaço de mim, então, de a luz a água, e a faça justiceira, ei de confiar em ti.

Tatiane desfez a conexão com a nascente, e percebeu, pelo fluxo de sangue que havia alguém atrás dela. Quando se virou, viu o pajé, surpreso, mas contente, que falou:

– Espirito da água gosta de você. Bom, bom!

Continua…


Pesquisa de Público:
http://goo.gl/forms/6o70pS9aM8

contato@tresquartoscego.com

https://www.facebook.com/tresquartoscego

https://www.instagram.com/tresquartoscego

http://www.mahoutias.com.br

Commentários do Facebook

Comentários