Mahou Tias #078 – Água E Aranha

Logo de Mahou Tias em fumdo amarelo

Bolinha tinha em mente, que chegaria em casa, quebrando a janela de seu quarto. Contudo, enquanto se aproximava, notou que por algum motivo a janela estava aberta.

Ela sabia que algo havia entrado em seu quarto, mas de onde estava não podia ver o que era.

Quanto ela apareceu na janela, um jato branco e gosmento, lhe envolveu na altura da cintura, impedindo que ela afastasse os braços do corpo.

A frente Bolinha via Vagner envolvido pelo que parecia ser um casulo de teia, que estava pendurado a uma aranha de cerca de dois metros de comprimento, que estava no teto do quarto.

Ela também notou que uma luz parecia sair do casulo, e caminhar pelos fios de teia, até a aranha.

A criatura tinha o dobro de olhos de uma aranha normal, e era coberta por escamas vermelhas.

Bolinha sabia que o estranho animal estava sugando a energia do marido. A mulher fez força e conseguiu se livrar da teia, em seguida pulou sobre a cama, chutando o grosso fio que prendia o marido a besta.

O fio era bastante resistente e não quebrou. A aranha voltou a disparar teia em Bolinha, que por causa da distância, não teve como se desviar, tendo o tronco e parte do rosto envolvidos.

Novamente ela livrou os braços, e disparou um forte jato de água na criatura, que parecia não sentir nada.

Bolinha saiu pela janela, e do lado de fora, tirou a teia do corpo. Então, tentou se concentrar nos fluidos que corriam no corpo da besta, mas por algum motivo, não os podia controlar.

Bolinha foi até a frente da casa, e entrou, seguiu até a cozinha, pegou uma faca de açougueiro e subiu até o quarto, tentando pegar a aranha pelas costas.

Porem para a surpresa de bolinha a criatura estava olhando para a porta do quarto quando ela entrou. A criatura disparou mais teia e a mulher se desviou saltando para fora do alcance.

A mulher magica entrou no quarto que seria de seu filho, saiu pela janela e tentou entrar pela janela do quarto do casal, mas novamente foi recebida com um jato de teia.

Bolinha conseguiu se desviar do jato e voou com tudo para dentro do quarto na direção da aranha. Ela aplicou facadas no corpo e na cabeça da criatura, que desviavam sem causar dano, por causa das escamas.

A criatura voltou a disparar teia, e enquanto era coberta, a mulher foi serrando o fio que ligava a aranha ao casulo onde estava o marido.

Bolinha perdeu grande parte da mobilidade e caiu deitada no chão. A besta saltou do teto sobre a mulher, tentando morde-la com suas presas.

Bolinha fez água começar a surgir em volta de seu corpo, rompendo a teia. Em seguida, começou a fazer a água envolver a criatura.

Enquanto a mulher tentava envolver, e esmagar a aranha usando a água, a besta a perfurou com uma das patas no ombro esquerdo.

Bolinha gritou de dor, e perdeu a concentração no que fazia. A aranha aproveitou, e cravou outra pata em seu ombro direito.

Bolinha estava sentindo muitas dores, e estava ficando tonta. Imaginando que as patas pudessem estar envenenadas, ela usou tudo o que tinha para envolver e apertar a aranha.

A mulher deu tudo o que tinha, mas as escamas não sediam, no entanto a criatura começou a engolir a água. Bolinha aproveitou que a criatura estava engolindo, e foi guiando a água, para que entrasse no animal através da boca.

A criatura tentava fechar a boca, mas Bolinha mantinha um fluxo tão intenso, que fazia a água entrar à força.

Os minutos foram passando, e a aranha foi sendo preenchida por água, quando a criatura já estava começando a vazar água por traz, Bolinha começou a girar o liquido dentro da besta.

O movimento começou a destruir os órgãos internos do monstro, que foi amolecendo e desfalecendo sobre Bolinha.

Exausta a mulher retirou as patas da criatura de seus ombros, e a contornou, percebendo que a criatura tinha duas cabeças, uma na frente, e outra onde deveria estar a bunda.

Bolinha foi até uma das gavetas do criado-mudo, pegou uma arma do marido, a introduziu em uma das bocas do monstro e disparou, em seguida fez o mesmo na outra boca, para ter certeza que a criatura havia morrido.

Ela estranhou o fato de a criatura não ter se afogado, mas deveria ser um monstro com habilidades especiais.

Com a faca ela abriu o casulo, e constatou que Vagner estava vivo, aparentando estar cansado.

Ela retirou o homem da teia e se deitou ao lado dele cansada.

Continua…


Apoie no Padrim:
http://www.padrim.com.br/tresquartoscego

Pesquisa de Público:
http://goo.gl/forms/6o70pS9aM8

contato@tresquartoscego.com

https://www.facebook.com/tresquartoscego

https://www.instagram.com/tresquartoscego

http://www.mahoutias.com.br

Commentários do Facebook

Comentários