Contos – A Fúria De Apolo

Anuncio

Contos - Três Quartos Cego Capa

Assim que saiu da casa de Afrodite, Sohac, se sentou nos pés de uma árvore.

Então, sem que ele percebesse, Dionísio, entrou a casa da deusa.

Depois de alguns minutos ele saiu apressado, tudo sem que Sohac percebesse.

Minutos depois, Sohac sentiu um grande calor em sua frente. Apolo se materializou, o agarrando pelo pescoço:

– Você, mortal insolente, afrontou Afrodite e a fez chorar!

Apolo jogou o homem no chão pisando em seu peito.

O pé do deus queimou a roupa e a pele de Sohac.

Apolo o fez levitar, colocou as duas mãos no rosto do homem, o queimando.

Sohac caiu no solo, com as mãos na face, tentando acalmar a dor.

Apolo fez Sohac levitar novamente, lhe chutando o estomago. Em seguida lhe deslocou o maxilar com um soco.

O deus deixou o homem caído, e foi embora dizendo:

– Só não te mato, porque é escravo de Afrodite. Mas não abuse. Volte a faze-la chorar, e sofrerá ainda mais.

Sohac começou a rir, permanecendo deitado no chão.

Apolo se indignou, se virou de volta para o homem, esperando que falasse algo, mas ele só riu e se calou.

Seguindo para longe, o deus disse:

– Você deve ter algum problema na cabeça.

Sohac permaneceu deitado. Uma chuva caiu, lhe refrescando as feridas.

Assim que a chuva passou, o homem foi levantado por alguém, e levado para a casa da deusa.

Sohac abriu os olhos, vendo Afrodite o carregando.

Após colocá-lo sobre uma cama, tirou-lhe as roupas, besuntando o corpo do homem com um guento, e colocando seu maxilar no lugar:

– Porque me ajuda? Eu não te desafiei? Não mereço isso?

A deusa saiu do quarto deixando Sohac sozinho.

Commentários do Facebook

Comentários

Deixe uma resposta